DESDE 1994! Somos especialistas em protecção de plantas em Agricultura Biológica e Produção Integrada.

30 anos
Inseticidas Biológicos e Vegetais Fungicidas e Elicitores Confusão Sexual Armadilhas, Atrativos e Feromonas Biofertilizantes Serviços

 

Sabendo que a "Biodiversidade é fundamental no solo", a Biosani procura desenvolver a sua atividade de forma a promover o incremento da biodiversidade de seres vivos que habitam o solo, dado que estes são fundamentais para a manutenção da sanidade e da fertilidade do solo, bem como para a produção agrícola e para a segurança alimentar. A biodiversidade do solo inclui todos os organismos que vivem na matriz do solo, tais como: bactérias, fungos, protozoários, nemátodos, ácaros, insetos, minhocas e outros invertebrados, bem como os que vivem "anexos do solo" e dependem diretamente ou indiretamente deste, como é o caso de: plantas, líquenes e animais.

A biodiversidade existente no solo desempenha múltiplas funções importantes para a estabilização e sustentabilidade do ecossistema, nomeadamente, no que se refere a:

  • Transformar a matéria orgânica em húmus, aumentando a capacidade de retenção de água e disponibilidade de nutrientes do solo;
  • Participar dos ciclos biogeoquímicos dos elementos essenciais para as plantas, como: o carbono, o azoto, o fósforo, o potássio e o enxofre, entre muitos outros;
  • Fornecer serviços essenciais aos ecossistemas, tais como: a polinização, o controlo biológico de pragas / doenças, a purificação da água / ar, e a regulação do clima;
  • Contribuir para a estabilidade estrutural do solo, evitando a erosão e a compactação;
  • Preservar a diversidade genética das plantas cultivadas, fornecendo recursos para o melhoramento vegetal.

No entanto, biodiversidade do solo é ameaçada por vários constrangimentos resultantes das atividades agrícolas e sobre as quais é importante ponderar a sua aplicação / introdução no ecossistema, e dos quais salientamos:

  • A perda e a degradação dos habitats naturais pela expansão da área agrícola, do desmatamento, da urbanização e em resultado das alterações climáticas;
  • O uso excessivo ou inadequado de agroquímicos, como: produtos fitofarmacêuticos, fertilizantes e herbicidas, que podem reduzir ou eliminar os organismos benéficos do solo;
  • A utilização intensiva de monoculturas e a consequente simplificação dos sistemas agrícolas, que diminuem a diversidade de plantas e animais no solo;
  • A introdução de espécies exóticas invasoras, que podem competir ou predar os organismos autóctones do solo.

Para enfrentar esses desafios que a preservação da biodiversidade do solo encontra durante o desenvolvimento das diversas atividades agrícolas, será imperativo a adoção de práticas e metodologias agrícolas que respeitem, valorizem e se possível promovam o uso e melhoria sustentável do solo. Como exemplos práticos, a Biosani defende, aconselha e recomenda a aplicação de algumas das práticas e metodologias que apresentam resultados concretos no sentido da preservação da biodiversidade, sem que limitem de forma inviável as atividades agrícolas, dos quais destacamos:

  • A agroecologia, que constitui um sistema de produção agrícola baseado nos princípios da ecologia, da economia solidária e da justiça social. O sistema procura a integração harmoniosa das componentes biológicas, físicas e sociais da agricultura, promovendo a diversificação das culturas e animais, a gestão sustentável do solo e das pragas, o uso racional dos recursos naturais e o fortalecimento das organizações dos agricultores familiares;
  • A agricultura de conservação, que é um sistema de produção que visa conservar os recursos naturais através de três princípios: a mobilização mínima do solo (sementeira direta), a manutenção da cobertura vegetal permanente (enrelvamento ou pastagens espontâneas permanentes) e a diversificação das espécies vegetais (consociação ou rotação sustentável das culturas);
  • A produção integrada, que é um modo de produção agrícola que engloba não só a proteção integrada, mas também outros aspetos da gestão do ecossistema agrícola, como: a fertilização, a irrigação, a conservação do solo, a biodiversidade, o bem-estar animal, a higiene e a rastreabilidade, entre muito outros. O modo de produção baseia-se na avaliação ponderada de todos os fatores de produção disponíveis e na integração de medidas adequadas para diminuir o desenvolvimento das pragas / doenças e manter a utilização dos produtos fitofarmacêuticos e outras formas de intervenção a níveis económica e ecologicamente justificáveis. A produção integrada tem normativas técnicas próprias para cada cultura / animal, que são controladas e certificadas por entidades independentes;
  • A agricultura biológica, que é um modo de produção agrícola atualmente regulamentado por legislação própria tal como referido para a produção integrada, que não utiliza produtos fitofarmacêuticos de síntese (com algumas exceções bem justificadas), nem organismos geneticamente modificados (OGM's). O modo de produção busca a preservação, e o melhoramento sustentável da sanidade do solo, das plantas, dos animais e dos seres humanos, para além de respeitar e utilizar consciente e sustentavelmente através do seu conhecimento, os ciclos naturais do ecossistema e consequentemente dos seus constituintes;
  • A agricultura familiar, que é um modo de produção baseado na gestão familiar da terra e do trabalho conexo. Este contribui diretamente para a conservação e manutenção ativa da biodiversidade na agricultura ao manter variedades locais de culturas / animais, e ao utilizar sistemas agroflorestais que combinam árvores com culturas agrícolas e / ou pecuários, enquanto valorizam os conhecimentos tradicionais sobre a gestão unificada e sustentada da biodiversidade.

A preservação e manutenção sustentável da biodiversidade do solo durante o desenvolvimento das atividades agrícolas e consequentemente no ecossistema é um tema deveras relevante para a sustentabilidade global do planeta e para o bem-estar das populações, dada a importância que este recurso representa para a sobrevivência de ambos. Essa diversidade biológica representa um património natural e cultural que deve ser protegido e utilizado de forma responsável e sustentável. Para que tal ocorra, será necessário educar e consciencializar os produtores, os consumidores, os governantes, bem como a sociedade em geral sobre a importância e funcionalidade da biodiversidade no solo e em espaço agrícola. Apresentando-se de crucial importância a assimilação consciente por parte de todos os intervenientes das formas / metodologias para a conservar e usar de forma sustentável e sobretudo promover a sua manutenção de forma o menos interventiva possível.

Nota: Este texto não é exaustivo em relação ao tema, nem pretende sê-lo, dado que apenas representa a visão e a razão do desenvolvimento da atividade que a Biosani aplica e transmite a quem recorre aos seus serviços e produtos. Representando por isso, a verdade em que acreditamos!

Produto Fitofarmacêutico

Os produtos fitofarmacêuticos requerem Cartão de Aplicador ou Cartão de Técnico Responsável.

  • Adicionar ao Carrinho

    Poderá utilizar o cartão de outra pessoa, desde que a mesma se responsabilize pela aplicação do tratamento.
    Consulte aqui a Lei n.º 26/2013 de 11 de abril (Distribuição, venda e aplicação de produtos fitofarmacêuticos).

    * Campos de preenchimento obrigatório
Subscreva a nossa Newsletter